Costeletas de borrego com tabbouleh de quinoa

Acabou o verão. E, como se isso não bastasse, é ainda mais difícil acreditar que já passaram 3 meses desde que publiquei aqui uma receita. Olho para trás e não consigo perceber muito bem como o tempo passou tão rápido, consigo porém visualizar uma série de coisas que aconteceram. Coisas muito boas, daquelas que me apetece partilhar já com vocês. Mas vamos com calma.

Depois de 3 meses a viver exclusivamente do meu trabalho enquanto freelancer, acho que estou capacitado para fazer o primeiro balanço. Aqui vai: ser freelancer é terrível!! Terrível é a palavra, não tenho dúvida! Ou serei eu terrível a gerir a minha carreira de freelancer? Bem, até agora as duas hipóteses são válidas mas é provável que a segunda seja a mais verdadeira.

Considero-me uma pessoa organizada, às vezes até obcecado com pormenores que provavelmente só eu entendo, mas gerir o tempo sempre foi, e continua a ser, a minha maior dificuldade. Não me arrependo minimamente da decisão que tomei, mas às vezes só queria chegar ao final do dia com tudo o que planeei para esse dia terminado. Sentir que os fins-de-semana servem efectivamente para quebrar com a rotina semanal e finalmente descansar, ou ir de férias sem o peso dos e-mails a caírem na caixa de entrada. Isso ou dias de 34 horas seria perfeito. Mas é só o início da caminhada, apesar de me sentir esmagado com a pressão do tempo, sei que ainda estou a tentar aperfeiçoar as técnicas e acho que lentamente vou conseguindo encaixar tudo em semanas com 5 dias de 24 horas!

Para já, preciso voltar a sentir alguma normalidade, isso inclui voltar a blogar com regularidade e voltar a cozinhar para mim, as minhas receitas, com os ingredientes que eu gosto e me identifico e sentir o maior prazer nisso. Porque apesar de ter cozinhado muito nestes últimos meses, percebi que cozinhar as receitas de outros para outros não me satisfaz totalmente. No entanto, tenho descoberto muitos ingredientes e combinações novas, isso sim poderá ser muito útil daqui para a frente!

Deixem-me por agora apresentar-vos estas costeletas de borrego que fotografei há umas semanas atrás. Uma receita de Tess Ward numa colaboração especial com a Mindfulchef.

Costeletas de borrego com tabouleh de quinoa

Costeletas de borrego com tabbouleh de quinoa

Receita de Tess Ward, fotografado para Mindfulchef

Serve 2

Borrego

  • 1/4 de cebola vermelha
  • 1 dente de alho
  • 1/2 chilli vermelho, sem sementes
  • 4 costeletas de borrego
  • Azeite
  • Sal integral e pimenta preta

Tabbouleh de quinoa

  • 150g de quinoa crua
  • 2 tomates, sem sementes, picados finamente
  • 1 molho de salsa, picada
  • 1 punhado de menta, picada
  • 2 colher de sopa de sumo de limão
  • Azeite
  • Sal integral e pimenta preta

Para servir

  • Iogurte grego, a gosto
  • 2 colheres de chá de sumac

Método

1. Prepare a marinada para a carne picando a cebola roxa, o alho, o chilli e um fio de azeite num processador de alimentos até obter puré, acrescente um pouco de água caso fique muito espesso. Cubra as costeletas de borrego com esta mistura e deixe marinar por 2 horas. Isto ajuda a amaciar a carne. 2. Cozinhar a quinoa numa panela pequena com o dobro da água. Assim que começar a ferver, baixe o lume e deixe cozinhar tapado durante 15 minutos. 3. Depois de marinarem por tempo suficiente, retire o excesso de molho das costeletas. Aqueça uma frigideira ou um grelhador e cozinhe as costeletas durante 1 a 2 minutos de cada lado. Enquanto as costeletas cozinham, tempere-as com uma pitada de sal e pimenta preta. Retire do lume e deixe descansar 5 minutos. 4. Quando a quinoa estiver cozida, deixe-a arrefecer uns minutos fora do tacho. Em seguida, adicione a salsa, a menta e o tomate picado. Tempere com um fio de azeite, sumo de limão e uma pitada de sal e pimenta. Misture bem. 5. Sirva o tabbouleh de quinoa com as costeletas de borrego e um pouco de iogurte grego, termine com o sumac polvilhado e um fio de azeite.

Costeletas de borrego com tabule de quinoa

 

 

Leave a Reply

Back to top