Não estou habituado a beber álcool. Gosto muito de água, bebo ocasionalmente alguns refrigerantes e de vez em quando um copo ou outro de vinho tinto ou rosé.

Aqui o cartão de visita é aguardente. Qualquer anfitrião que se preze oferece um copo (ou vários) a quem o visita. A aguardente de néveda, uma planta muito comum nos Açores, faz parte do ritual de boas vindas em qualquer casa.

Oferecem com um enorme carinho uma bebida com história, feita com as suas próprias mãos. Esta partilha é algo que não se recusa!

O problema é que por vezes a força nas pernas fraqueja e a cabeça parece que saíu de um carrossel da feira popular.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

4 Comments

  1. Ondina Maria 30/06/2014 at 16:42 · Reply

    Que vida difícil Filipe! Queijo, aguardente, tartes merengadas de limão… olha, queres trocar comigo? Pelo caminho ainda levas de brindes a mega dor cervical e sessões de fisioterapia às 8h de la matina :D

    • Filipe 17/07/2014 at 15:01 · Reply

      Tb ando com algumas dores na cervical, por isso não estou interessado em trocar! :) beijinhos e as melhoras!

  2. Patrícia 01/07/2014 at 9:14 · Reply

    Adorei as fotos do meu Pico: a minha ilha de eleição; o meu espaço de férias com as avós; aí, no Cais do Pico. Sou neta de um trancador de baleias, quando elas ainda eram caçadas. Que saudades que tenho do meu avó do Pico.
    Beijinhos e obrigada por estes momentos.
    Patrícia
    Obs. E temos pratinhos iguais a esse na nossa casa do Pico. Doces memórias.

    • Filipe 17/07/2014 at 14:59 · Reply

      Que bom Patricia! Essas memórias valem ouro! Adoro toda a história do Pico, os baleeiros, e acho que é uma ilha cheia de personalidade. Esta é uma casa de família que transformamos em Alojamento Local. Tem sido muito gratificante partilhar este fascínio especialmente com os estrangeiros e perceber que eles ficam tão fascinados como nós! Só tenho pena de não viver lá! :)

Leave a Reply

Back to top