Viagens pelas receitas de Portugal

Às vezes penso onde nos leva esta coisa das modas gastronómicas. Sou um curioso nato por todas as vertentes da alimentação mas parece que, de um momento para o outro, somos todos saudáveis, ou pelo menos tentamos ser. Nada contra, atenção! Fascinam-me todas as formas de pensar a alimentação e sou adepto assumido de uma alimentação mais consciente e informada.

Gosto apenas de reflectir sobre os assuntos e por vezes pergunto-me onde tudo isto nos leva. Que impacto terá na nossa identidade culinária no futuro. Como afectará as tradições, os sabores característicos que lembram as nossas raízes, os nossos avós, a nossa cultura. A história e a cultura de um país não podem ser dissociadas da sua gastronomia. E a história diz-nos que a nossa gastronomia foi sofrendo alterações ao longo do tempo, adaptando-se à realidade do presente. Provavelmente é isso que acontecerá à nossa identidade culinária no futuro.

No livro que vos falo hoje Nelson Carvalheiro, blogger de viagens e exímio contador de histórias e Emanuele Siracusa, fotógrafo e autor das imagens que acompanham este post, percorreram 5000 km durante 32 dias em busca de receitas que nos caracterizam. Muito mais do que um livro unicamente de receitas ou mero roteiro, Viagens Pelas Receitas de Portugal é um livro que exalta a nossa identidade culinária através das pessoas, dos lugares, dos produtos regionais e das preciosas histórias que rodeiam tudo isso. E é tão bem feito e tão rico de detalhe que simplesmente não se pode desperdiçar nada. Ler o livro do Nelson é como ter a sorte de rapar o tacho duma refeição deliciosa. Ou melhor, limpar o resto de molho no prato, com um pedaço de pão (alentejano de preferência). E quem é que não sente especial prazer nisso?

Viagens pelas receitas de Portugal

Viagens pelas receitas de Portugal

Detalhes como a história da dona Olívia que fundou, juntamente com o seu marido, um pequeno restaurante em Évora. Luar de Janeiro, nome invulgar para um restaurante que serve autênticas receitas alentejanas e que faz questão de manter relações estreitas com os produtores da região, proporcionando uma cozinha local e sazonal. Olívia conta como prepara as bochechas de porco preto que serve com arroz de menta. Mas é na tomatada com ovos escalfados que o meu pensamento pára. E não consigo deixar de sentir algum arrependimento por não ter passado lá enquanto o tomate estava na sua época. A empatia que senti ao ler histórias como a da dona Olívia foi exactamente a mesma ao ler as palavras que o Nelson usou para descrever a casa Pacha em Caldas da Rainha, onde cresci, e cujas paredes (e petiscos) conheço tão bem.

E não é só empatia que se sente. Apetece voltar, apetece descobrir, comer. E acima de tudo, conhecer muitos dos lugares e pessoas que protagonizam estas páginas e que são ingredientes tão ou mais preciosos quanto o conjunto de receitas que o Nelson conseguiu reunir. Receitas e histórias que têm o nosso ADN. São orgulhosamente Portuguesas. E Portugal, felizmente, também está na moda.

Viagens pelas receitas de Portugal

Viagens pelas receitas de Portugal

Viagens pelas receitas de Portugal

Viagens pelas receitas de Portugal

Viagens pelas receitas de Portugal

Viagens pelas receitas de Portugal

Viagens pelas receitas de Portugal

Viagens pelas receitas de Portugal

Fotografia: Emanuele Siracusa

 

3 Comments

  1. lLia 26/11/2015 at 15:02 · Reply

    Tenho mesmo de trazer esse livro comigo no Natal,
    Pois todas as criticas que leio são fantásticas!
    Lia

    • Filipe 01/12/2015 at 19:46 · Reply

      Vale mesmo a pena!

  2. Ilse 14/01/2016 at 18:43 · Reply

    I love Portugal.I love this post, especially your picture of drying bacalau, I saw this on the promenade in Nazaré, just fabulous.

Leave a Reply

Back to top